COLIGAÇÃO DE LOBÃO FILHO TEM O MAIOR NÚMERO DE CANDIDATOS PARA A CÂMARA - Randyson Laércio

Post Top Ad

sábado, 26 de julho de 2014

COLIGAÇÃO DE LOBÃO FILHO TEM O MAIOR NÚMERO DE CANDIDATOS PARA A CÂMARA

A coligação “Pra Frente, Maranhão”, do senador Lobão Filho (PMDB), candidato a governador do estado, é a que dispõe do maior número de candidaturas registradas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, para a Câmara Federal. Ao todo, os 18 partidos que integram a coligação têm 161 candidatos a deputado federal.
Já a coligação “Todos pelo Maranhão”, do comunista Flávio Dino (PCdoB), tem 78 candidaturas registradas para o Legislativo. As demais candidaturas para a Câmara são do PCB, PPL, PSTU e do PSOL, que não formalizaram coligações proporcionais.
Levando-se em consideração o panorama geral da disputa, com a comparação de todos os partidos que dispõem de representatividade no Maranhão, o PT, da coligação de Lobão Filho, é quem tem mais candidatos a deputado federal. O partido da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva registrou 27 aspirantes a cadeiras na Câmara.
Depois do partido da presidente Dilma, é o PSL quem mais apresentou nomes ao eleitorado para maranhense para a Câmara Federal. A sigla registrou 23 nomes e pretende eleger pelo menos dois deputados. O PSL também integra a coligação “Pra Frente, Maranhão”.
Logo em seguida aparece o PTC, do prefeito Edivaldo Júnior, com 21 candidatos. O PDT, que também integra a coligação oposicionista, registrou 18 candidaturas e também pretende eleger dois candidatos.
O PEN, da coligação de Lobão Filho, tem 15 nomes para a disputa. Já o PTdoB, 13 candidaturas. Com 12 candidatos estão o PRTB e o PSDC, da mesma coligação. PCdoB, de Flávio Dino, e o PSB, apenas 10.
Os outros 21 partidos apresentam número de candidatos a deputado federal inferior a 10, inclusive aqueles que já dispõem de mais de uma cadeira no Legislativo. É o caso do PMDB, que tem cinco deputados federais em exercício: Gastão Vieira, Pedro Novais, Professor Sétimo, Alberto Filho e Francisco Escórcio. Mas registrou apenas nove candidaturas.
O PSDB tem três deputados federais – Hélio Santos, Carlos Brandão e Pinto Itamaraty, mas só registrou quatro candidaturas.
Os partidos com o menor quantitativo de candidatos registrados para a Câmara são o DEM e o PTN, com apenas dois nomes em disputa, cada.
Candidato terá atenção com interior
O senador Edison Lobão Filho (PMDB), candidato a governador pela coligação “Pra Frente, Maranhão”, assegurou ontem, durante comício em Cachoeira Grande, que, eleito governador, lançará “um
olhar carinhoso” para os menores municípios do estado. “Vou fazer uma gestão municipalista, olhando com carinho, sobretudo os menores municípios. Farei tudo que estiver ao meu alcance para assistir às prefeituras em suas demandas mais urgentes e suprir as necessidades do nosso povo”, comprometeu-se.
O prefeito da cidade, Francivaldo Vasconcelos (PSD), elogiou o trabalho de Lobão Filho no Senado e elencou alguns dos anseios dos cachoeirenses. “A construção da ponte que ligaria Cachoeira Grande a Presidente Juscelino é um sonho antigo. Essa obra foi iniciada há quase dez anos, pelo ex-governador Zé Reinaldo, e está abandonada aí. Só fizeram as bases”, destacou.
A ponte ilustrou o escândalo da Operação Navalha, em 2007, quando a Polícia Federal desmontou um esquema de fraudes de licitações e desvios de recursos públicos federais em favorecimento da construtora Gautama e que levou José Reinaldo Tavares à prisão. José Reinaldo é aliado da pequena coligação “Todos pelo Maranhão”, encabeçada pelo comunista Flávio Dino (PCdoB).
Sobre a polêmica ponte, Lobão Filho garantiu que, em seu governo, a obra será concluída e os municípios que, apesar de vizinhos ficam praticamente isolados um do outro, serão, finalmente ligados. “Eu vou desenterrar essa caveira de burro que Zé Reinaldo enterrou ali”, exclamou o peemedebista.
Mais
O PSOL, de Antônio Pedrosa; o PCB, de Josivaldo Correa e o PPL de Zeluís Lago registraram cinco candidaturas para a Câmara, cada. O PSTU de Saulo Arcangeli apresentou apenas quatro nomes para a proporcional.
O Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad