POLÍCIA ACABA COM FARRA DE PERIGOSA QUADRILHA - Randyson Laércio

Post Top Ad

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

POLÍCIA ACABA COM FARRA DE PERIGOSA QUADRILHA

A polícia do Maranhão deu um freio em pelo menos sete assaltantes que aterrorizavam mansões da capital maranhense.

Os elementos, entre eles três mulheres, foram autuados por assaltos a mão armada e formação de quadrilha.

Eles foram reconhecidos por várias pessoas vítimas da quadrilha.
Os elementos, além de focar no assalto a casas de bairros nobres de São Luís, se utilizavam de extrema violência em suas investidas criminosas.


A quadrilha é acusada assaltar a casa de um delegado de polícia (relembre aqui) e a de um major da Polícia Militar.

As prisões foram feitas pelo serviço velado da PM do Maranhão.
Todos serão apresentados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) na manhã desta quarta-feira, dia 23, junto com o chefe da quadrilha de sequestradores do menino Pedro.

Foram autuados na noite de terça-feira como membros da quadrilha, moradores do bairro do São Francisco, Rafaela Sodré Costa, 21 anos; Rayane Nascimento Pereira, 23 anos; Darlan Silva Ferreira, mais conhecido por “Cogumelo”, de 20 anos; Paulo Rogério Sousa, 20 anos, e Rafael Araújo, o “Pé de Caraça” 26 anos. Do Itapera Raimundo Nonato Azevedo Vieira, o “Louro”, 27 anos e Liliane Silva Oliveira, 33 anos, moradora do São Cristóvão.

Gazeta da Ilha

2 comentários:

  1. vc teria so como me tirar uma duvida, essa Rafaela sodre ela tem uma tatuagem de uma fênix do lado direito do corpo, pegando baixo da cintura

    ResponderExcluir
  2. São Luís do Maranhão. Tinha tudo pra ser um lugar agradével. Um lugar onde se pudesse viajar com a família. Mas o que observamos é uma "capital" suja, violenta, muito cara ( pra quem a visita e quer consumir), de um trânsito totalmente desassistido, ruas quase que intrafegáveis, enfim, um chiqueiro a céu aberto. Maranhão, meu tesouro, meu torrão. tuas estruturas estão torradas. E se o que nos serve de referência é São Luís, é lamentável e patente nossa ausência referencial. Deixei de ir e vir tem uns meses. Cartel formado em orla. Uma orla que nos pertence ( ou seria interessante nos pertencer). Lugar algum se pode estacionar e abandonar, mesmo que por poucos instantes , seu veículo. Sem que te seja garantido um prejuízo. São tantas faltas de quelidades e excessos de mazelas, que prefiro encerrar aqui. Que suas centenas e tantas décadas de porcaria, um dia chegue ao fim.

    ResponderExcluir

Post Top Ad