Casamento Comunitário reúne quase 100 casais em Olho Dágua das Cunhãs - Randyson Laércio

Post Top Ad

domingo, 8 de dezembro de 2019

Casamento Comunitário reúne quase 100 casais em Olho Dágua das Cunhãs



Na última quinta-feira (5), a comarca de Olho D´Água das Cunhãs sediou uma edição do projeto Casamentos Comunitários, proporcionando a regularização da união civil de quase 100 casais das zonas urbana e rural do município. O casamento comunitário foi organizado pelo juiz titular da comarca, Galtieri Mendes de Arruda, em parceria com a Prefeitura Municipal e instituições religiosas da cidade.
Na ocasião, participaram da cerimônia comunitária, realizando individualmente o casamento de cada um dos 96 casais, os juízes de Direito Mirella Cézar Freitas, titular da 2ª Vara de Itaperucu-Mirim – representando o idealizador do projeto, desembargador Jorge Rachid; Jairon Ferreira de Moraes (auxiliar da capital); Jorge Sales Leite (Vara da Família de Bacabal); Rômulo Lago e Cruz (1º Vara de Vitorino Freire); Selecita Locatelli (São Luiz Gonzaga); Bernardo Luiz de Melo Freire (Poção de Pedras); Cristina Leal Meireles (2ª Vara de Lago da Pedra); Marcelo Frazão Pereira (1ª Vara Criminal de Bacabal) e Gláucia Helen Maia de Almeida (2ª Vara Criminal de Bacabal).
Casal mais idoso da cerimônia, aos 75 anos e 66 anos de idade, os noivos José Tereza Linhares e Maria Francisca da Silva Souza foram os primeiros a afirmarem o “sim” perante o magistrado Galtieri Mendes de Arruda, recebendo a certidão de casamento das mãos do prefeito Rodrigo Oliveira. Em seguida, foi a vez do casal mais jovem, Renato Silva Costa (24 anos) e Alexandra Barros Carvalho (18 anos), cuja união foi celebrada pela juíza Mirella Freitas e a certidão entregue pela presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/Subseção Bacabal).
O juiz Galtieri Mendes de Arruda ressaltou a relevância da edição do projeto na cidade de Olho D´Água das Cunhças, onde há vários anos não acontecia e a população relata carência de eventos e políticas públicas, apresentando um índice de uniões estáveis não formalizadas por falta de condições financeiras. O magistrado ressaltou a parceria das instituições religiosas e líderes religiosos, assistentes sociais e sociedade civil. “Verificamos um número relevante de casais interessados em formalizar a união civil, realizando uma cerimônia bem organizada e decorada para oferecer um momento especial a todos os casais da nossa comarca, com a participação de vários magistrados que se deslocaram voluntariamente de suas comarcas”, ressaltou.
A juíza Mirella Freitas ressaltou que somente na gestão do desembargador Marcelo Carvalho Silva já foram realizados mais de 7 mil uniões por meio do projeto Casamentos Comunitários, o que demonstra o empenho da Corregedoria Geral da Justiça em aproximar o Judiciário da população, por meio dessa importante iniciativa que reforça o compromisso com a estruturação da família, ampliando garantias previdenciárias, patrimoniais e sucessórias. “É com muita alegria que participo desta cerimônia na comarca onde atuei por dois anos, e representando o desembargador Jorge Rachid, que implantou esse projeto em 1998”, frisou.
“É com grande alegria que participamos deste projeto, que beneficia muitas pessoas que vivem em união estável e não possuem condições de arcar com os custos do casamento”, avaliou o juiz Jorge Leite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad