AÇÕES PLANEJADAS REDUZEM O TRÁFICO DE DROGAS NO MARANHÃO - Randyson Laércio

Post Top Ad

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

AÇÕES PLANEJADAS REDUZEM O TRÁFICO DE DROGAS NO MARANHÃO

Nos últimos quatro anos, o trabalho articulado da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA) resultou no controle e prevenção ao tráfico de drogas. Um dos marcos para esse saldo positivo foi a implantação da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) que foi qualificando para se especializar na investigação desse tipo de crime. No período, a Senarc apreendeu mais de 13 toneladas de entorpecentes, o que representa R$ 35,9 milhões de prejuízo aos traficantes.

O cenário do tráfico do Maranhão, recebido pela atual gestão há quatro anos, exigiu que fossem colocadas em prática intervenções mais firmes para frear seu avanço. No conjunto de medidas, operações com foco nas rotas de distribuição de drogas e prisão de líderes de quadrilhas interestaduais que levaram à redução desta criminalidade no estado.

O superintendente da Senarc, Breno Galdino, destacou que o planejamento acertado intensificou o monitoramento às quadrilhas e grandes rotas do tráfico. “Isso reduziu a ação dos criminosos, e consequentemente, o volume de drogas em circulação”.

Este ano, a apreensão de 1,7 tonelada, avaliada em R$ 4,6 milhões, mais a prisão de 249 pessoas e apreensão de 48 armas, confirma o acerto das operações de controle do tráfico de drogas. “Observamos uma redução considerável, que tem origem no planejamento executado desde o primeiro ano da gestão. Operações e monitoramento permanente resultando em retração desta criminalidade”, enfatiza Breno Galdino.

O delegado geral de Polícia Civil, Leonardo Diniz, avaliou o trabalho realizado pela Senarc como inovador pelo foco no combate aos distribuidores. “E foi pioneiro pelos expressivos resultados na identificação e prisão dos líderes, retirando do mercado expressiva quantidade de entorpecentes”, afirmou.

Apreensões

Os números ao longo do período comprovam o êxito das ações fruto do trabalho intensificado da Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar. Em 2015, primeiro ano da gestão, o número de apreensões foi 13 vezes maior que do ano anterior, com a marca de 1,5 toneladas de drogas tiradas de circulação – montante avaliado em R$ 5,3 milhões. Ainda, 159 presos e 25 armas apreendidas.

Em 2016, quando foi implantada a Senarc, o aumento nas apreensões chegou a 42,3%, com 2,9 toneladas, avaliadas em R$ 8,9 milhões. No ano foram 46 armas tiradas do tráfico e 227 presos. Relacionado ao ano anterior, o aumento das apreensões em 2017 foi de 139%, com 7,1 toneladas e prejuízo em torno de R$ 17,1 milhões às quadrilhas. Ainda no período, 56 armas apreendidas e 425 pessoas presas.

Entre os marcos alcançados com a criação da Senarc está a erradicação do maior plantio de maconha, entre os anos de 2016 e 2017, quando 303 mil pés da planta incinerados. Se processados renderiam quase seis toneladas gerando ao tráfico estimado em R$ 5 milhões.

Em 2017, durante operação na rota Miranda do Norte-Itapecuru, a Senarc desarticulou mais uma quadrilha interestadual e apreendeu volume de maconha avaliado em R$ 300 mil. Na operação, que foi chamada de Libertar, 42 pessoas foram presas, incluindo o maior fornecedor de drogas para o Maranhão, detido em Goiás.

Em setembro deste mesmo ano, em São José de Ribamar, a Senarc registrou a maior apreensão de droga prensada: 3,6 toneladas de maconha, avaliadas em R$ 5 milhões. O valor é estimado conforme o tipo e condição da droga (pura ou prensada). Na ocasião, quatro homens foram presos e três veículos apreendidos. A ação marcou o fim de uma quadrilha interestadual que tinha ramificações no Piauí, Pará, Tocantins e Maranhão e desarticulou uma grande rota de distribuição.

Medidas

Desde 2015, foram adquiridas novas viaturas, equipamentos mais modernos e estruturas mais adequadas com a reforma e construção de prédios, potencializando as condições da investigação e a ação policial nas ruas.

O setor de cinofilia, criado em 2016, contribui para as grandes apreensões, utilizando cães da raça Pastor Alemão Belga, que possuem multifunções e qualidades originais para serem ‘cães de polícia’. Com a Lei nº 10.238, sancionada pelo governador Flávio Dino em 2015, foram criadas as Delegacias Regionais, que contribuíram para o expressivo aumento das apreensões.

Reforço do efetivo com novos policiais, incorporados a partir do concurso público realizado pelo Governo; ampliação e reforma de prédios das polícias Civil e Militar; aquisição de novos armamentos de ponta e equipamentos aos profissionais da área; e a criação de um canal de denúncias via rede social, se somam às medidas do Governo do Estado que culminaram na redução do tráfico de drogas.

A Senarc promove ainda uma série de projetos educativos voltados a alunos da rede pública de ensino, para conscientizar e informar sobre o perigo das drogas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad