COMERCIAL CARVALHO COMEÇA A FECHAR FILIAIS NO MARANHÃO E PIAUÍ - Randyson Laércio

Post Top Ad

quinta-feira, 5 de junho de 2014

COMERCIAL CARVALHO COMEÇA A FECHAR FILIAIS NO MARANHÃO E PIAUÍ

O Grupo Carvalho está fechando lojas da sua principal 'bandeira', que é o Comercial Carvalho. O processo de fechamento teve início em janeiro deste ano, após vários estudos feitos pela cúpula do grupo empresarial, um dos mais ricos do estado do Piauí, com participação do dono, seu Reginaldo Carvalho.
Especula-se que pelo menos 15 unidades devem fechar, no Piauí e no Maranhão, que é onde o Comercial Carvalho tem suas lojas. Entre os motivos estaria a separação do casal de empresários e sócios, Reginaldo e Van Carvalho (foto). Eles estariam, através de seus respectivos advogados, tratando do que cada um passa a administrar dentro do grupo.
Reginaldo e Van estão separados há quase um ano. Eles nunca se pronunciaram oficialmente e nem publicamente sobre o assunto, mas a familiares, amigos, clientes e parceiros comerciais já admitiram que não estão mais juntos. O site 180graus divulgou a informação da separação do casal em setembro do ano passado, quando Reginaldo confirmou apenas que houve um 'arranhão', mas que não comentaria sobre sua vida pessoal porque considera que prejudica a imagem de sua empresa.
O Grupo Carvalho hoje possui as seguintes bandeiras: Comercial Carvalho, Carvalho Supermercado, Carvalho Mercadão, Carvalho Atacado e Carvalho Júnior. Além das seguintes empresas associadas: Carvalho Publicidade, Carvalho Imobiliária, Valor Factoring, Casa da Massa, Hiper Sorte Loteria e as marcas Diamantina Jóias e Carvalho Expansão. Com quase 8 mil funcionários e completando 28 anos de existência, tornou-se uma das maiores redes de supermercados do Nordeste com um faturamento de mais de 1 bilhão de reais por ano.O Grupo Carvalho possui atualmente 64 lojas, sendo 42 no Piauí, sendo a maioria na capital Teresina, e 22 no Maranhão, boa parte nas cidades Bacabal, Timon e Caxias. Fundado em 23 de setembro de 1986, a partir de um pequeno comércio, em sede alugada, instalada no centro de Teresina, onde até hoje funciona uma de suas filiais, o empresário Reginaldo Carvalho começou a ampliar as suas lojas na década de 90 até se tornar a maior rede varejista do estado. Teve uma visão empresarial que colocou a empresa num patamar imaginável para alguns empresários piauienses, que chegaram a duvidar da capacidade de Reginaldo.
Quase 30 anos, e o Grupo Carvalho parece repensar a ideia de Reginaldo, que nunca deixou de ampliar o número de lojas. Além da crise vivida por conta da separação conjugal, mudanças na economia do País mexeram com o Grupo Carvalho. Pessoas próximas a Reginaldo e Van começaram a tentar convencê-los que era hora de fechar algumas unidades. É que foram abertas tantas lojas do Comercial Carvalho, que algumas ficavam próximas uma das outras e o faturamento de uma delas não estava mais 'compensando'. O diretor de marketing do Grupo Carvalho Felinto Rezende, confirma a informação.
Até agora, já foram fechadas seis lojas. Quatro em Teresina e duas no Maranhão. As unidades fechadas na capital piauiense foram as localizadas nos seguintes bairros: Dirceu, Lourival Parente, São João e Piçarra. Esta última foi fechada na semana passada, com direito a um aviso enorme colocado na fachada. "Na verdade fechamos algumas unidades por conta do baixo faturamento que elas representavam. Para se ter uma ideia, essa unidade da Piçarra representava 0,33% em arrecadação para o grupo. Além disso, pesa aí o custo benefício. Não valia a pena, dava era prejuízo ter que manter gerente, funcionários demais... a gente teve que convencer o Reginaldo, porque ele tem cada unidade como um filho para ele. É um grande empresário. Mas quando mostramos os números ele concordou em fechar algumas lojas", afirmou Felinto.
Além dessas já fechadas, várias outras também devem entrar em processo de fechamento por parte do Grupo Carvalho. Felinto diz que ainda não sabe quais serão fechadas, mas informa que esse estudo passa por um grupo de pessoas que vai avaliar se a clientela não será prejudicada. "Fazemos um estudo, se existe outra unidade por perto. Por exemplo: a unidade da Piçarra que fechou tem uma outra, bem mais ampla, bem perto. Enquanto essa ficava próxima ao Mercado da Piçarra, temos uma, com estacionamento e tudo, na avenida Barão de Castelo Branco, no Cristo Rei, que fica perto. E assim serão com as próximas lojas que podem ser fechadas", ressaltou. Uma das que está sob análise para fechamento é a do bairro Socopo, na zona Leste de Teresina. A assessoria não confirma o número das que estão sob estudo para fechamento e nem a quantidade de pessoas que serão demitidas ou já estão de aviso prévio. É que alguns desses colaboradores são reaproveitados em outras unidades do Grupo Carvalho.(Informações do 180º).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad