ESTELIONATÁRIOS SÃO PRESOS EM S.LUÍS, UM DELES É DE BACABAL - Randyson Laércio

Post Top Ad

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

ESTELIONATÁRIOS SÃO PRESOS EM S.LUÍS, UM DELES É DE BACABAL

POR GABRIELA SARAIVA
Cinco pessoas, sendo três homens e duas mulheres, foram presas por investigadores do 7º Distrito Policial, do Turu, suspeitas por estelionato e formação de quadrilha. As prisões ocorreram entre a tarde da última terça-feira (18) e a manhã de ontem, nos bairros Fé em Deus, Vinhais e Coroado. Uma grande quantidade de material, usado para a realização das falsificações, foi apreendida com o bando.

De acordo com o delegado Paulo Márcio Tavares da Silva, titular do 7º DP, o técnico em informática Marcelo José Vieira, de 32 anos; e Alesson Klinger dos Reis Sousa, 30, foram presos na casa onde funcionava o escritório de falsificações, na Rua Joaquim Serra, n° 146 – Fé em Deus. 

 No local, foram encontradas várias cédulas de identidade, habilitações, espelhos do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), CPFs, dentre outros documentos – tanto falsificados como originais, além de acetona, algodão, cédulas de identidade originais em branco, impressora de alta resolução e um notebook, tudo usado na falsificação.
Foto: G. Ferreira
Alesson(de Bacabal), Carlos, Rosa, Marcelo e Laurenir seriam especialistas em falsificar documentos

O casal Laureni Jesus Fróes, de 40 anos, e Carlos Borromeu Silva Neto, 29, foram presos no Viva do Vinhais, quando eles iriam encontrar Marcelo para lhe repassar novos “trabalhos”. Na manhã de ontem, a polícia conseguiu prender Rosa Maria dos Santos Vera, de 36 anos, no Bairro do Coroado, sob as mesmas circunstâncias. 

Com os três, também foram apreendidos vários documentos, entre carteiras de trabalho, cédulas de identidade e CPFs.

Segundo informou o delegado Paulo Márcio, Marcelo e Alesson eram contratados para fazer as falsificações; o casal e Rosa Maria eram pagos para conseguir os clientes. A polícia acredita que a quadrilha também usava os documentos falsos para aplicar golpes em comércios da cidade, ao conseguir aprovar cadastros e fazer financiamentos, além de fraudar também o INSS para a realização de empréstimos bancários. “Imagino que dezenas de carteiras de motoristas, diplomas acadêmicos, CPFs, todos falsificados, estejam espalhados pela cidade. Isso é muito sério, não só pelos danos financeiros, mas por termos profissionais com diplomas falsos atuando em São Luís”, completou o delegado.

Marcelo, morador da Rua Urbano Santos, n° 18, Filipinho; Alesson, residente na Rua José Bonifácio, n° 148, bairro Esperança, no município de Bacabal; o casal Laureni e Carlos, moradores da Rua do Arame, n° 1-A, Vinhais; e Rosa Maria, moradora da Avenida Dr. Carlos Macieira, n° 9-A, Coroado, foram autuados em flagrante por estelionato e formação de quadrilha.

Como era feita a falsificação – Conforme a investigação, os falsificadores lavavam um documento original, usando acetona e algodão extra macio, para apagar os dados. Em seguida, de posse de um programa de computador, eles inseriam os dados falsos dos clientes e imprimiam em cima do documento original. Por último, cobriam com o plástico alto adesivo, usados nestas documentações.
Em cada carteira de habilitação, Marcelo recebia entre R$ 200 a R$ 300; mas, para cada cliente, era cobrado pelo menos R$ 800 por falsificação. Na delegacia, ele revelou que realizava as fraudes há cerca de seis meses e que nunca teve contato com os mandantes, apenas recebia o material para ser falsificado, das mãos de terceiros. A polícia acredita que pode haver envolvimento de funcionários do INSS, do Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA) e de Financeiras, no esquema.
Morte de personal trainner – O delegado Paulo Márcio também informou que vai investigar se a quadrilha é a mesma que está envolvida na morte do personal trainner Diego Serra Mendes de Sousa, de 26 anos, assassinado a tiros na noite do dia 25 de Abril, deste ano, nas proximidades do Motel Oásis, no Bairro do Turu. Segundo o delgado, Diego pode ter sido morto porque não estava conseguindo vender habilitações falsificadas.
(Jornal Pequeno)

2 comentários:

  1. esse alesson aí não tem jeito. cadeia bao da jheito pra ,ele se desse ele não voiltaria a fazer. so quer luxar sem trabalhar olha o que dá

    ResponderExcluir
  2. a casa caiu e o pior é q o caras levantam de novo...

    ResponderExcluir

Post Top Ad